MANCINES

FACEBOOK INSTAGRAM SPOTIFY YOUTUBE E-MAIL


Coimbra, 2014. A cidade vê nascer um novo projecto musical, de seu nome Mancines. As vozes de Raquel Ralha (Wraygunn, Belle Chase Hotel, Azembla’s Quartet, The Twist Connection) e Toni Fortuna (d3o, Tédio Boys, M’as Foice) juntam-se a Pedro Renato (Belle Chase Hotel, Azembla’s Quartet) e Gonçalo Rui (produtor musical e guitarrista) para uma viagem cinematográfica, sem guia turístico, pelas bandas sonoras dos anos 60 e 70.

Os Mancines lançaram, em Abril de 2015, o seu disco de estreia «Eden's Inferno» que, como seria de esperar, faz a ponte entre as sonoridades de alguns dos projectos dos quais os músicos provêm, com novas orientações, uma vez que grande parte dos temas deste disco foram assinados por Pedro Renato, que os compôs ainda durante o tempo de actividade dos Belle Chase Hotel. «Eden’s Inferno» conduzia-nos numa viagem sonora às profundezas de um inferno idílico, e convidava-nos a ficar lá para umas férias. No inferno paradisíaco, no sofrimento cor-de-rosa, o pior dos infernos, o da perfeição.

Passados quatro anos de «Eden's Inferno», a banda regressa em 2020 com o álbum «II» pela mão da Lux Records. É um disco menos negro, mais positivo e actual, sobretudo mais desligado das sonoridades dos projectos anteriores dos músicos. É um disco com uma nova identidade, a identidade própria de Mancines. Se «Eden’s Inferno» foi digno de atenção por parte do público e da crítica, este novo álbum promete fazer mexer a banda, cada vez mais coesa.

Mancines é aquilo a que o dia-a-dia das nossas vidas deveria soar, se estas tivessem banda sonora.

LOJA / DISCOGRAFIA


"Um dos mais deliciosos discos pop que nasceram entre nós nos últimos tempos vem assinado pelos Mancines... As canções sugerem uma vasta assimilação de heranças (que vão desde a música para cinema aos terrenos clássicos da canção pop, com pistas que passam por várias tradições europeias), juntam a elegância e o poder sedutor das grandes melodias, e celebram mesmo a história pop nacional ao recriar Fado, um clássico dos Heróis do Mar… É um disco para juntar a 'La Toilette des Etoiles' dos Belle Chase Hotel, 'Altar' dos The Gift, 'Lustro' dos Clã, 'Onde O Tempo Faz a Curva' dos Rádio Macau, 'Desalmadamente' de Lena d’Água, 'Le Jeu' dos Balla ou o álbum dos Humanos, na galeria de grandes momentos pop made in Portugal editados em disco desde o ano 2000."
Nuno Galopim, GIRA DISCOS

"É muito raro que uma banda tenha uma identidade tão própria, uma tamanha capacidade de criar refrões, de criar arranjos imaculados. Os Mancines têm. E têm um novo disco para o provar."
João Bonifácio, OBSERVADOR

“É Coimbra outra vez a cantar diferentes filmes num só disco. Raquel Ralha, Toni Fortuna, Pedro Renato e Gonçalo Rui, um quarteto de luxo, conhecem-se todos antes que qualquer um deles diga seja o que for. Belle Chase Hotel, Tédio Boys, Azembla’s Quartet, d3o, já passaram por tudo isto, muito mais, e têm uma cumplicidade que foi boa ideia ser transformada em disco. Os Mancines fazem música de gangsters deprimidos, slows para bailes de gente sem par. «Eden’s Inferno» é feito por crooners que não cantam glórias conquistadas nem prémios que estão ali apenas a uns passos de dança de distância. Nada disso. É a triste melancolia de copos entre amigos – «então mas isso é bom, não é?» Claro que é, mas tem sempre um «não sei quê» de abandono e nostalgia que nunca desaparece.”
Tiago Pereira, JORNAL i

“A banda que reúne Raquel Ralha (Wraygunn, Belle Chase Hotel, Azembla’s Quartet), Toni Fortuna (D3o, Tédio Boys, M’as Foice), Pedro Renato (Belle Chase Hotel, Azembla’s Quartet) e Gonçalo Rui apresenta temas que não são mais que a viagem cinemática às profundezas do inferno cor-de-rosa que compõe o universo do quarteto.”
ARTE SONORA

“Um Paraíso infernal ou Inferno paradisíaco que, sejam permitidas as duas leituras conforme cada qual assim o sinta, no alinhamento de dez composições, de um álbum heterogéneo onde se faz uma viagem em inglês e italiano que, pelos acordes e lírica, nos leva para um universo do cinema clássico, das indispensáveis bandas sonoras.”
Sara Capitão, MUTANTE

"Raquel Ralha, Toni Fortuna, Pedro Renato e Gonçalo Rui dão corpo a um projecto que nasce em Coimbra e no qual as vivências de projectos anteriores se fundem dando vida a uma nova sonoridade que sugere imagens e guiões de filmes que podiam ser os das suas vidas. Na conversa que tivemos em Coimbra com os Mancines ficou claro que nos imaginários destes experientes músicos tudo é possível. Se a larva faz um casulo e de dentro dele sai borboleta, o caminho inverso também aqui se torna possível. A banda nasceu das necessidades exigidas pelo disco mas, no próximo episódio deste projecto já serão as personagens que, saindo do guião inicialmente estabelecido, darão vida a novos sons e novas mensagens.”
XPRESSING MUSIC

“O viveiro de Coimbra volta a atacar. É lá o centro geográfico dos Mancines, que agora se estreiam em disco com «Eden’s Inferno». Os Mancines – homenagem ao génio de Henry Mancini – têm na sua linha da frente gente como Tony Fortuna (com passado punk em bandas como os incontornáveis Tédio Boys), Raquel Ralha (Wraygunn, Belle Chase Hotel, por exemplo), e Pedro Renato (Belle Chase Hotel, etc), sob a direcção de Gonçalo Rui. O universo remete-nos para a Europa de entre-guerras, com ecos de piano-bar, casinos luxuosos com boas cadeiras de veludo. Estes ambientes completam-se com uns toques muito bem-vindos a lembrar a chanson e o cançonetismo de décadas mais tarde. Há ainda tempo para namoros com a música brasileira em algumas orquestrações, alguns avanços kitsch sem nunca chegar a ser cheesy, os sons de outros tempos que, estranhamente, nos fazem sentir mais confortáveis. Mais uma boa dádiva musical de Coimbra para o país. Um disco de outros tempos, que nos sabe bem neste começo de Outono e nestes tempos tão imediatos e tão acelerados.”
Tiago Freire, ALTAMONT